sábado, 17 de novembro de 2012

Na onda dos blogs literários

Já faz tempo que blog deixou de ser sinônimo de "meu querido diário". (Cá estamos nós para provar isso!) Hoje existem blog pra falar de culinária, de moda, de tecnologia, saúde, contar novidades, fazer humor.. enfim, as opções são infinitas. Mas o que me chama bastante atenção (e tenho algumas dezenas desses nos favoritos) são os blogs literários.
É, tem uma galera, algumas vezes bem jovem, escrevendo contos, crônicas, poesias e toda especie de texto de literário e postando em blogs por aí. Então, criança, ao invés de ficar vadiando no facebook (por que eu sei como essa parada é viciante) que tal tirar alguns minutos para ler esses novos e não tão conhecidos escritores? Agora vou deixar que eles falem por si mesmos.


ébrio
"Tenho evitado manter contato. É uma coisa meio boba. Tenho muito medo de que me perguntem como estou. É a pergunta mais fácil a ser feita e, tantas vezes, é a mais difícil de ser respondida.
Vai ver é medo da voz não sair, um medo enorme de engasgar na hora ou de demorar demais pra responder qualquer coisa... Qualquer coisa que faça a pessoa ir embora logo e não perceba essa dificuldade. E pior, não saber responder sinceramente. Por isso que gosto tanto dessa minha solidão. Acho que liberdade é isso, é solidão. Enquanto se está só, não há regra, não há expectativa, não há repreensão. Você só precisa fazer o máximo para acreditar de verdade nessa liberdade inventada"

Rudimentaruin.
"são exatamente 5:20 da manhã. eu coloquei uma cadeira em cima da minha cama e estou olhando o céu matutino pela minha janela. Me sinto conectado com todas as pessoas que estão olhando para o céu neste momento. As luzes da rua ainda estão acesas. as roupas que a minha mãe colocou no alpendre estão na minha frente, mas ainda consigo ver um pedaço do céu, disposto por entre as folhas. a única coisa que eu queria dizer é que eu amo a Nina. Pena que ela não está aqui para eu falar. Mas ela sabe, esteja ela onde estiver.
Agora está chovendo. Isso é lindo"




Essas e outras reticências...
"Ela não sabia o que fazer para si própria, de tanto que fez pelos outros. Por isso reclamava de quem sabia e se entristecia. Foi minguando sem saber. Só os outros que viam. Ela talvez nem suspeitasse. Parece sem volta, talvez seja - volta-se?. Ela não parava para ela, nem andava. Ela não parava de buscar o que fazer para não descobrir que não sabia quem era. Ela não queria descobrir que era triste ou onde podia encontrar alegria!"




Divagações e Devaneios

"Eu quero um dia sair por ai. Uma saia lá no pé, camisa de banda e uma mochila nas costas. Sair sem destino. Escrever pela rua, conversar com desconhecidos, tirar fotos ao acaso. Eu quero um dia tomar sorvete na praça. Eu quero um dia conversar pessoalmente com você, enquanto almoçamos junto ao mar. Eu quero um dia dirigir, dirigir, dirigir até não restar mais estrada. Quero correr por entre as árvores de um jardim sentindo a chuva molhar meu rosto. Quero um dia me jogar na lama, pular por entre os pássaros, cair rolando nas dunas. Quero tudo. Não quero muita coisa. Quero as coisas simples da vida, por que é destas coisas que a vida é feita"

Você tem um blog literário? Conhece algum que deveria fazer parte da lista? Conta pra gente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário